Spray de pele humana cicatriza ferimentos em velocidade espantosa



Acho que nem preciso falar muito sobre a importância que a pele tem para a nossa cultura. Além de nos proteger de doenças e infecções, a pele é motivo de obsessão por grande parte da população e a presença de cicatrizes e queimaduras pode destruir a auto-estima de uma pessoa. Não é a toa que diversos filmes de ficção científica e similares volta e meia mostram sprays capazes de curar danos feitos à pele em segundos como uma das maravilhas da tecnologia do futuro.


Existe um fundo de verdade nisso pois estamos gradativamente nos aproximando dessa possibilidade, ainda mais agora com a nova tecnologia para o tratamento de queimaduras desenvolvida por uma empressa chamada Avita Medical. O ReCell é um spray que quando espirrado cobre uma área lesionada com pele do próprio paciente.


Ao sofrer algum tipo de queimadura, uma amostra de pele não danificada é retirada e cultivada. Esse cultivo dura em média uma semana onde, na presença dos nutrientes e fatores de crescimento adequados, diversos tipos de células da pele (como os fibroblastos, melanócitos e queratinócitos) se multiplicam para abastecer o ReCell. O spray então é aplicado na área atingida cicatrizando feridas com uma velocidade espantosa e minimizando ao extremo a formação de cicatrizes e problemas de pigmentação que possam surgir.


Durante muito tempo o procedimento padrão para o tratamento de queimaduras foi o enxerto de pele e ao que parece esse cenário vai mudar pois além do ReCell outros protótipos de tecnologias regenerativas para a pele tem sido bem sucedidos em humanos. Com o aperfeiçoamento dessas técnicas a tendência será também o uso cosmético desse tipo de procedimentos (que no princípio provavelmente não vai ter um preço tão acessível assim). O ReCell já está aprovado para o uso no Canadá, Europa e Australia e sendo analisado para aprovação em diversos outros países.


A capacidade regenerativa do Wolverine talvez não seja mais motivo de inveja para os fãs já que existem planos de aperfeiçoar o spray para utilizá-lo também em outros tecidos. Possivelmente estejamos presenciando o início de uma revolução na regeneração de ferimentos humanos.


(eu não quis colocar imagens fortes aqui mas para os interessados em ver os resultados é só digitar Recell no google imagens)

Share on Google Plus

Sobre o Autor

Neurocientista cafeinômano envolvido com projetos que investigam a plasticidade sináptica. Nas horas vagas é abduzido por uma curiosidade extrema sobre as implicações do crescimento tecnológico exponencial que estamos vivenciando. Contato: luis.shgt@gmail.com
    Comentários
    Comente pelo Facebook