O surgimento dos celulares flexíveis (e quase inquebráveis)



Volta e meia vemos celulares nada baratos se tornarem vítimas de acidentes fatais e dar seu último suspiro enquanto os donos desesperados remoem o prejuízo ocasionado por tamanha banalidade. Não é a toa que surgiu um meme a partir de um celular old school supostamente indestrutível já que a medida que os celulares vão se tornando mais finos possivelmente se tornem também mais frágeis. Ou não... pois a promessa para 2013 é o fim desse tipo de problema.
 

Celulares que possam ser esmagados, enrolados, pisoteados, derrubados e com a espessura de uma folha de papel podem surgir no mercado antes que possamos digerir a idéia. Na verdade protótipos já tem sido apresentados em demonstrações públicas e os rumores agora são de que em 2013 o primeiro modelo será lançado. De fato praticamente todas as grandes companias fabricantes de celulares estão trabalhando nessa tecnologia mas diz a lenda que provavelmente a Samsung vai ser a primeira a liberar para a venda. Segundo o porta-voz da empresa a tecnologia OLED (Organic Light Emitting Diode) será dobrável, enrolável e permitirá um elevado grau de durabilidade através do uso de um substrato de plástico que é mais fino e mais leve do que a tecnologia LCD convencional.



Apesar de o lançamento em 2013 ser ainda apenas um boato não se pode ignorar que a tendência dos dispositivos para os próximos anos é essa. Na verdade existem diversas outras tecnologias começando a ser utilizadas para esse fim como o grafeno por exemplo. O grafeno é uma folha de carbono com apenas um átomo de espessura  mais forte do que o diamante, transparente, leve, com grandes propriedades condutoras... e é flexível.


Levando tudo isso em conta não faz sentido pensar que o ponto sejam apenas os celulares. De fato os especialistas estão trabalhando com esse material em diversos outros dispositivos e pode-se incluir na lista aparelhos de televisão, painéis solares e... implantes biônicos. Ao que parece os novos celulares vão ser apenas o ponta-pé inicial de uma mudança radical no mundo que conhecemos.  
Share on Google Plus

Sobre o Autor

Neurocientista cafeinômano envolvido com projetos que investigam a plasticidade sináptica. Nas horas vagas é abduzido por uma curiosidade extrema sobre as implicações do crescimento tecnológico exponencial que estamos vivenciando. Contato: luis.shgt@gmail.com
    Comentários
    Comente pelo Facebook