Descoberto mamífero capaz de se regenerar como as salamandras




Durante muito tempo o foco dos estudos com regeneração de membros foram as salamandras. Apesar da diferença biológica entre os anfíbios e os mamíferos, o entendimento dos mecanismos que esses animais utilizam para regenerar os membros perdidos nos ensinam muito sobre o funcionamento dessa capacidade e dão esperança de que um dia possamos aplica-la em humanos.



O roedor Acomys percivali surpreendeu por sua capacidade
regenerativa incomum
Nos últimos dias, a revista Nature descreveu um mamífero que pode fazer esse abismo entre nós e as salamandras parecer menor do que imaginávamos: foi descoberto na África um roedor capaz de recuperar tecidos corporais perdidos. Esse mamífero promete se tornar um novo foco nas pesquisas com regeneração tecidual devido a sua capacidade similar a de espécies como as salamandras. O curioso é que isso ocorre na orelha do animal onde pele, pelos e cartilagens voltam a crescer e formar uma nova orelha. Na verdade esse roedor até regenera outras partes do corpo mas não da mesma forma que a orelha. 


Esse fenômeno é conhecido como autotomia, a capacidade que algumas espécies tem de liberar alguma parte do corpo como mecanismo de defesa (acho que todo mundo que teve infância foi incomodar uma lagartixa e acabou só com a cauda dela na mão). É uma auto-amputação que serve para essas espécies escaparem dos predadores mas que é extremamente rara em mamíferos.


Em outros mamíferos, ao sofrer uma lesão ao invés de ocorrer esse processo surge a formação de uma cicatriz. O que espantou os pesquisadores foi que, ao levar a espécie para estudos laboratoriais eles descobriram que a orelha desse roedor forma uma estrutura similar à blastema que as salamandras formam (processo usado para regenerar membros perdidos).


Ken Muneoka (o cara das salamandras para quem leu esse post) concorda com a importância da descoberta:


“Isso pode representar um novo modelo para o tratamento de feridas na pele e a regeneração tecidual em seres humanos”

Share on Google Plus

Sobre o Autor

Neurocientista cafeinômano envolvido com projetos que investigam a plasticidade sináptica. Nas horas vagas é abduzido por uma curiosidade extrema sobre as implicações do crescimento tecnológico exponencial que estamos vivenciando. Contato: luis.shgt@gmail.com
    Comentários
    Comente pelo Facebook